Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Prefeitura lança programa SisMulher

  • Published: Friday, 30 August 2019 12:03
imagem sem descrição.

Após a capacitação para a utilização da plataforma, ocorreu na manhã da terça-feira, 27, no auditório da Prefeitura de Parauapebas, o lançamento oficial do SisMulher - sistema integrado de gerenciamento ao atendimento à mulher de Parauapebas. Servidores municipais, representantes do poder executivo, judiciário e da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) prestigiaram o evento.

A gestora da Secretaria da Mulher (Semmu), Angela Silva, destacou que o governo municipal tem buscado se aperfeiçoar no que diz respeito ao atendimento público. “A cada dia nós temos tentado buscar mais conhecimento e inserir mais programas que venham facilitar o atendimento às mulheres que procuram a Rede. Estamos no Agosto Lilás e não teríamos momento mais importante do que esse para implantar o projeto que tá no coração da nossa gestão, que é facilitar e realmente oferecer o melhor para nossa sociedade”, garantiu.

A gestora da Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação da Secretaria Municipal de Planejamento (DETIC/Seplan), Eliene Paixão, explicou a dinâmica de trabalho do setor. “A gente recebe as demandas de todas as secretarias e órgãos do município e tenta sempre priorizar aqueles sistemas que vão dar um retorno direto para população, como é o caso do SisMulher. A gente tem trabalhado para fornecer uma ferramenta gerencial a essas secretarias para que elas tenham agilidade e informação para tomarem as melhores decisões quanto a questão da sua pasta de gestão”, ressaltou.

“A importância de nos termos um sistema como esse é que ele vai nos dar dados reais, por meio dos relatórios, de como é que a rede de atendimento [à mulher] está funcionando em Parauapebas. Nós temos em Parauapebas uma rede de atendimento completa. O objetivo desse sistema é justamente melhorar essas políticas públicas. Vamos ter dados reais e vamos fomentar essa política pública. A gente vai saber identificar exatamente qual é a lacuna da rede de atendimento para poder melhorar”, comentou a professora da UFRA, Josilene Ferreira Mendes.

 

Texto: Rayssa Pajeú

Fotos: José Piedade

Assessoria de Comunicação - Ascom/PMP

 

GALERIA DE IMAGENS
registrado em:
Fim do conteúdo da página