news subheader Notícias

FRUTAS CULTIVADAS EM PARAUAPEBAS PODEM SE TRANSFORMAR EM PRODUTOS PARA EXPORTAÇÃO

 

Sempror alinha parceria com instituto, que assegura produção sustentável

para mulheres do campo

Empoderamento feminino foi um dos temas levados às mulheres do campo, nesta quinta-feira, 18, durante visitas realizadas pelo Instituto Beraca e pela equipe da Secretaria Municipal de Produção Rural (Sempror).
As visitas ocorreram na comunidade Monte Horebe, na área conhecida como Paulo Fonteles, e na área da Apa do Igarapé Gelado, onde mulheres que fazem parte da Associação Filhas da Terra puderam participar de um encontro no qual o empoderamento feminino foi o “ponta pé” para discussões no que se referem ao desenvolvimento sustentável no campo. 

Hoje, as mais de 60 mulheres da associação obtêm renda por meio da produção artesanal, da produção de sabão caseiro e ainda do aproveitamento de alimentos. Rosilene Soares Mendonça, 43 anos, moradora da Apa do Gelado, uma unidade de conservação, afirma que todo conhecimento e incentivo à produção no campo serão bem aproveitados: “Estamos entusiasmadas com a vinda do instituto, pois aqui (no campo) as alternativas para a obtenção de renda são poucas”, disse ela.

Marcos Pereira, técnico assistente do Instituto Beraca, explica que a organização foi criada para identificar comunidades que possam fornecer produtos naturais que serão utilizados pelo mercado de produtos farmacêuticos, de cosméticos e de cuidados pessoal do Brasil e de mais de 40 países. 

Núbia Gurgueia, presidente da Associação Filhas da Terra, fundada em 2003, diz que o grupo já vem recebendo apoio do Instituto Chico Mendes (ICMBio), da Prefeitura de Parauapebas e da mineradora Vale. Com mais este incentivo, o desenvolvimento poderá ser ainda maior: “Nós só temos a ganhar. Estávamos esperando esta oportunidade que agora chegou,” frisou.

Com a possibilidade de produzir de forma responsável, a fruticultura para o instituto é o foco. Deste modo, o cupuaçu e o maracujá, que já são cultivados de forma familiar, poderão virar produto de exportação com a iniciativa. Após as visitas, um estudo é elaborado a partir da realidade encontrada no campo para posteriormente ser celebrada parceria com as comunidades.

Para o secretário de Produção Rural, Eurival Martins, contanto que seja oferecido progresso para a vida no campo o governo municipal apoia iniciativas como esta: “O instituto vem para conhecer as perspectivas dessas mulheres que vivem no campo e que são tolhidas de muitas oportunidades. O que nós queremos é que isto traga benefícios para estas comunidades em nosso município”, frisou.


Texto: Jéssica Diniz
Fotos: Bruno Cecim
Assessoria de Comunicação - Ascom | PMP

 

Lido 186 vezes
Avalie este item
(0 votos)

ouvidoria 5

ctic

ATENÇÃO: Para uma melhor navegação utilizar google Chrome! Google Chrome logo

JoomShaper